CONTRIBUA COM NOSSAS AÇÕES... ENTIDADE PARCEIRA REDE MANDACARU BRASIL

segunda-feira, 28 de abril de 2014

Relatos do fórum permanente de educação e diversidade étnico racial do RN... 2013 - 2014




MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO E DIVERSIDADES E INCLUSÃO
Fórum Permanente de Educação Diversidades Étnico Racial do RN/MEC-SECADI
http://fpedern.blogspot.com.br/

Partindo do pressuposto que formação é um gargalo a ser superado por todos os participantes do FPERN, e contando sempre com a parceria da SECADI e instituições e comunidades tradicionais do RN membros do fórum RN, partimos em busca da formação continuada e da consolidação em grupo e no grupo na seguinte pauta:

- A ausência da (o) Representante IFRN (instituto federal de educação do RN antigo CEFET/ETFERN);

- A ausência da (o) Representante da secretaria estadual de educação do RN;

- O desmonte da Coordenadora estadual da COEPIR (Coordenadoria estadual de promoção e políticas para promoção da igualdade racial / SEJUC-RN pelo governo do estado do RN;

- A luta da coordenação colegiada da OSC/ONG REDE MANDACARU RN/RMRN – RECOSOL e do fórum permanente de educação diversidade do RN do CONAQ RN (coordenação kilombola do RN), da comissão de povos religiosos e religiosas de terreiro e de matriz afro-brasileira e ameríndia do RN, CENARAB  RN, CONEN RN, ong kilombo,  e de algumas comunidades e lideranças indígenas do nosso estado
Salientando que numa perspectiva de gênero fomos escolhidos em homem e mulher e todos e todas acima são membros da coordenação colegiada do FPERN, somos coordenação colegiada por decisão tomada em reunião e a acolhida por unanimidade por todos os representantes presentes a reunião e conforme nosso regimento interno.
Diante do exposto iremos elencar outras notas referidas principalmente que acreditamos ser cruciais para bom andamento do fórum estadual e locais e que devem ser evidenciadas pelo nosso fórum FPERN.
1.                    Publicizar o fórum nas escolas e nas mídias sociais nosso sitio (Blog), facebook e outras mídias sociais, (orientação usar as DIREDS);

2. NOVAMENTE ANO 2014, Oficiar as universidades e faculdades (IES) DIREDES, SINTE, E SEEC ESTADO E MUNICIPIO, CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO, via oficio fórum/SECADI a consolidação e dura resiliência e resistência do nosso fórum local;

3. Publicizar e reconvidar os sindicatos de educação e conselhos municipais e estadual para compor fórum;
4. Solicitar ao SECADI na pessoa do (a) técnica (o) guia de orientação e outros materiais dos fóruns além de sempre manter atualizado e divulgação permanente em nossas mídias o guia de construção dos fórum via link;

5. Solicitar a publicização do PAR das secretarias do estado e municípios quem são os responsáveis? (planejamento de 5 anos e media cada PAR) inclusive oficiar a não atualização do LINK MEC a SECADI  e bem como solicitar esta com brevidade;

6. Solicitar a secretaria de educação RN, onde estão os kits cor da cultura enviados bem como solicitar da SECADI pessoa que assinou e copia do AR dos referidos Kits;

7. Procurar e solicitar a UNESCO e ou MEC material africanidade – afro brasileira bem como a publicização deste via mídias sociais (link);

8. Rever temática "filhos de escravos", negro cativo, ESCRAVOS, que deve ser banida principalmente dos materiais didáticos de forma continua notificando e oficiando sempre editoras e órgãos responsaveis;

9. Solicitar a SECADI kit kilombola E MATERIAIS DIVERSIDADE cartazes, folderes e outros disponíveis e impressos;

10. Sempre que enviar um oficio lembrar  de solicitar com prazo de retorno a órgãos competentes;

11. Socializar regimentos internos dos fóruns locais;

12. Socializar com urgência parecer 003 e resolução 001/2004 e lei 10.639 a todos; principalmente aos conselhos municipais e estadual e pedir vistas;

13. Diferenciar os conceitos Resolução = Lei e Parecer = Orientação;
14. Frisar sempre a relação Diretriz x Conteúdo;

15. Tomar muito cuidado com solicitação de parecer técnico melhor compor comissão multidisciplinar para dar o parecer;
"Professor Walter tem parecer em 132 livros favorável na temática etinia racial"; referencia do SECADI procurar nos estados nomes de técnicos habilitados para parecer e socializar a posterior";

16. Solicitar do SECADI novo parecer do livro didático referendado pela comissão;

17. Oficiar a SEEC RN, como esta funcionado a comissão das secretarias sobre parecer do livro didático quem? Onde? Como?

18. fazer sempre pesquisa sobre:
- imagens, cronologia, precisão, gênero, estereótipos, questões regionais, étnicas e segmentos (dentro do meu estado o que fala mais alto)
- levantamento de estereótipos feitas na década de 80 ao povo negro pelo movimento negro;

19. PNLD já esta em PDF (procurar e socializar) SECADI/MEC/MINC;

20. realizar rodadas de disciplinas (ensino religioso ref RN, historia, português e artes e áreas afins, possibilidades de adentrar a outras áreas);

21. Fomentar o gerenciamento do professor do material em especial livro didático;

22. PNBE (programa nacional biblioteca escola) 18 obras (lendas, contos e literatura), procurar e socializar nas comunidades escolares;

23. Procurar o parecer 03.01 do conselho nacional;

24 promover o desafio do livro que compõe todo o conteúdo recorte étnico racial; ex: do professor e religioso Pai Jorge Arruda Pernanbuco seu material em forma de cartilhas;

25. Promover a ficha de parâmetros na escolha de livros incluir temática presente e qualificada, (MEC/SECADI/FORUM/CONSELHO) , rever qualificação dos materiais "PARECER TECNICO", Solicitar SECADI  normativa através de oficio;

26. Socializar o movimento vamos descobrir Angola, Mocambique, Nigeria entre outros países e o Panaafricanismo???

27. Trazer estudantes de países Africanos (intercambio) bem como religiosas e religiosos de matriz africana e amerindia para falarem o que é seu e nosso “povo”, o que é ser jovem, e o queé ser mais velho nas escolas, comunidades e fóruns, IES...

28. Promover temática África Subsaariana;

29 . Promover temática a partir das TEIAS MINC inclusive o desafio ACONTECERA NO RN;

30. Fomentar o PNLD (Programa nacional do Livro didático SEMPRE NO RECORTE ÉTNICO RACIAL);

31. Promover e discutir diretriz curricular educação e étnico racial;

32. Havendo necessidade  solicitr a SECADI  a ida da(o) especialista, para evento  enviar solicitação pelo fórum (Qual seria a possibilidade ?);
33. Trabalhar agenda do fórum e socializar nacional e regional; 
34. Que os fóruns sejam espaços de diálogos dos atores que interagem com a lei;
35. Que o Fórum atue sempre e busque a parceria principalmente com o MP (Inclusive a Judicialização quando necessário que é  nosso caso RN), IES e as secretarias de educação, sindicatos e do FNE nas duas esferas;
36. Busca a renovação de seus membros para dar continuidade aos trabalhos;
37. SOLICITAR ao SECADI cartazes do fórum Local;
38. Procurar evidenciar regulamentação e orientações curriculares para indígenas (que os indígenas sejam protagonistas de sua ação pedagógica);
39. O desafio de compatibilizar as orientações do PNLD com o conselho de educação e os fóruns;
40. Fazer com que os fóruns dialoguem com orientações oficiais: PNLD, Conselhos etc;
- imagens que refletem a diversidade étnico racial do pais;
- tratam com equilíbrios de gênero e orientação 
 e estereótipos

41. A via normativa é necessária para indicar o mínimo de ação:
- O MPF – fazer valer o plano PNDER
- Propor secretarias municipais educação com ministério da Educação as SEC, e MP via MP se necessários.

42. Fazer levantamento quais são os livros que circulam nas salas de leitura: Ênfase na compra de livros "falta dinheiro não, falta critérios";

43. “DESAFIO” Verificar plano pedagógico do município sobre diversidade e igualdade racial, solicitar orientações com conselho nacional de educação e estadual;

44. Orientações curriculares para o município referencia;
45. Ênfase em três áreas língua portuguesa, matemática, natureza e sociedade, artes e educação física e ensino religioso;
46. Construção de escolas kilombolas tem recursos sobrando referencia ao SECAD "socializar com prefeituras";

47. Há recursos diferenciado para alimentação nas escolas quilombolas fazer esfroço em conjunto com outros fóruns para mobilização para melhoria e desburocratização da compra e regionalização da merenda escolar como um todo para povos tradicionais;

48. Procura os kits a cor da cultura que se encontram na secretaria de educação e deveriam ser desponibilizados pelo FEPERN para tal o MEC/SECADI ficaram de enviar protocolo de recebimento pelo funcionário(a) da referida secretaria do material enviado
49. Buscar novos atores principalmente nos municípios para participarem do fórum RN e fórum local SENDO O DESAFIO NO RN DEVIDO A FECHAMENTO DA GESTÃO...


ATIVIDADES E PARTICIPAÇÕES EM CURSO 2013 PELO FORUM PERMANENTE DE EDUCAÇÃO E DIVERSIDADE:
- PARTICIPAÇÃO COM ESTANDE E OFICINA NO FORUM MUNDIAL DE DIREITOS HUMANOS BRASILIA 2013;
- FOMENTO LOCAL DOS FORUNS COM CRIAÇÃO E MUITO ESFORÇO DO FORUM LOCAL NA CIDADE DE MAXARANGUAPE; em construção na cidade CAÍCO, ELOI DE SOUZA, AREIA BRANCA, APODI E MACAU
- PARTICIPAÇÃO DE AUDIÊNCIA PÚBLICA NA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO RN EVIDENCIANDO O DESMONTE POR PARTE DO GOVERNO DO ESTADO  DO RN DAS POLITICAS DE IGUALDADE RACIAL DIGA-SE:
1. DESTRUIÇÃO DO PREDIO DA COEPIR/SEJUC/RN;
2. AUSÊNCIA APESAR DE REINTERADAS CONVOCATORIAS VIA PRESENCIAL EM AGENDA COM GESTÃO (SECRETARIO DE JUSTIÇA E CIDADANIA E SECRETARIA DE EDUCAÇÃO) E VIA DOC PARA EFETIVA PARTICIPAÇÃO DA SEEC/RN NO FORUM INCLUSIVE COM COM AVAL E CONTATO DO SECADI/DF;
3. PARTICIPAÇÃO EM REGIONAIS DA CONAE 2014 NO ESTADO DO RN E DEFESA E REINTERANDO PONTOS ASSERTIVOS NAS REFERIDAS REGIONAIS PRINCIPALMENTE NO EIXO DIVERSIDADES, TENDO POR MEIO E ARTICULAÇÃO OCUPADO SEMPRE A FRENTE DO PROCESSO  POR MEIO DE EDUCADORES PRESENTES E EM ESPECIAL RELIGIOSOS DE TERREIRO E KILOMBOLAS NA LUTA COADUNANDO-SE ASSIM COMO MENBROS NATOS DO FORUM “DIGA-SE QUE NOSSAS PARTICIPAÇÕES NAS REGIONAIS FORA CUSTEADA COM RECURSOS PRÓPRIO DOS (AS) EDUCADORES E RELIGIOSOS (AS) E KILOMBOLAS PRESENTES AS MESMAS SEM APOIO DA GESTAO LOCAL APESAR DE DIVERSAS SOLICITAÇÕES;
4. CONSTRUÇÃO EFETIVA COM PARCERIA DA COORDENAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIA DA RELIGIÃO DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RN EVIDENCIANDO ASSIM MOMENTOS IMPARES DE FORMAÇÃO, RODAS E DIALOGOS COM PROTAGONISTAS OS PRÓPRIOS POVOS TRADICIONAIS  FAZEDORES E SABIOS EM SUAS CULTURAS E AGENTES DE TRANSFORMAÇÃO  E DOCÊNCIA NESTE ESPAÇO ACADÊMICO E COMUNITARIO
5. EFETIVA PARCERIA COM CANAL FUTURA E FUNDAÇÃO ROBERTO MARINHO NO ESTADO DO RN, SUBSIDIANDO O A COR DA CULTURA E FORMAÇÃO PEDAGOGICA SABENDO QUE O ESTADO DO RN MESMO PROCURADO PELO CANAL FUTURA E FUNDAÇÃO ROBERTO MARINHO E PELO FORUM RN PELAS VIAS COMPETENTES (AGENDA FORMAL VIA OFICIO INCLUSIVE COM PAUTA COM CHEFIA DE GABINETE LOCAL) E ATÉ O MOMENTO NÃO RESPONDEU AS NOSSAS SOLICITAÇÕES QUE FORAM: FORMAÇÕES REGIONAIS COM APOIO DO CANAL FUTURA E NOS DEVIDOS RECORTES ÉTNICO RACIAL EM CONSONÂNCIA COM LEI 10639/03 E 11.645/08, CONSOLIDAÇÃO E APOIO AO FORUM PERMANENTE DE EDUCAÇÃO E DIVERSIDADES ÉTNICO RACIAL DO RN;
6. CONSTRUÇÃO EFETIVA E JUDICIALIZAÇÃO EM PARCERIA COM CENTRO DE REFERÊNCIA DOS DIREITOS HUMANOS CRDH/UFRN E REDE MANDACARU BRASIL E O FÓRUM RN,  PARA EFETIVAÇÃO E TRANSPARÊNCIAS NAS AÇÕES PELA SEEC/RN E SEEC MUNICIPAIS NO ESTADO DO RN;
7. RODAS E REUNIÕES EM COMUNIDADES TRADICIONAIS  NUMA CONSTANTE PARA IRMANADOS LUTAREM PELA EFETIVAÇÃO DA EDUCAÇÃO COM OS DEVIDOS RECORTES E EM FOCO ÉTNICO RACIAL;
8. INCLUSÃO E REALIZAÇÃO PELO CURSO DE CIÊNCIA DA RELIGIÃO UERN DA SEGUNDA RODA COMUNITARIA E ACADEMICA INTOLERANCIAS RELIGIOSAS E DIVERSIDADES ENFATIZANDO O RECORTE ENTICO RACIAL;
9. EM CONSTRUÇÃO E REPLICANDO CURSO EAD DE 80 HORAS CAPITANEADO POR EDUCADORES E PARCEIROS DO FORUM RN 10.639/03 FORA DOS MUROS DA ESCOLA COM CERTIFICAÇÃO PELO FORUM RN E ENTIDADES PARCEIRAS E CANAL FUTURA;
10. ENVIO DE OFICIO A TODAS AS DIREDS DO RN E SEEC/RN E SEEC MUNICIPAIS, AO SINDICATO PARA CONSTRUÇÃO DOS FORUNS REGIONAIS E ARTICULAÇÃO COM AS MESMAS
11. AINDA APESAR DE VÁRIAS TENTATIVAS A NOSSA INTEGRAÇÃO COM CAPTAÇÃO DE RECURSOS VIA “PAR” E BEM COMO AS DEVIDAS PUBLICIZAÇÕES E TRANSPARÊNCIA E FOMENTO E FORTALECIMENTO INSTITUCIONAL DO FORUM RN AO USAR O PAR COM UM DOS MEIOS NÃO FORA BEM SUCEDIDA;
12. TENTATIVA DE CAPTAR RECURSOS VIA EMENDAS PARLAMENTARES NA CIDADE DO NATAL CAMARA VEREADORES E ASSEMBLEIA LEGISLATIVA.
13. PARTICIPAÇÃO EFETIVA DA CONFERENCIA DE POLITICAS DE IGUALDADE RACIAL A NIVEL NACIONAL E REGIONAIS APEAR DO DESMONTE PELA GESTÃO LOCAL INVIABILIZANDO A PARTICIPAÇÃO DE DIVERSAS INSITITUIÇÕES E MOVIMENTOS SOCIAIS ENTRE ESTAS O FÓRUM RN, E REVOGANDO A CONEPIR RN FALTANDO APENAS 12 PARA SEU INICIO EM DIARIO OFICIAL. MESMO ASSIM REALIZADA NAS DEPENDENCIA DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO RN E COM FORÇA TOTAL DO MOVIMENTO SOCIAL PRESENTE. DIGA-SE CONEN, CENARAB, REDE MANDACARU BRASIL, FORUM EDUCAÇÃO E DIVERSIDADES ETNICO RACIAL DO RN, ONG KILOMBO RN, COMISSÃO DE POVOS RELIGIOSOS DE TERREIRO DO RN, SINTE RN ENTRE OUTROS ATORES E MANDATOS POPULARES, DEPUTADO FERNANDO MINEIRO, DEPUTADA MARCIA MAIA, DEPUTADA LARISSA ROSADO E VEREADORES DE NATAL HUGO MANSO E FERNANDO LUCENA.

14. PARTICIPAÇÃO NO FORUM DE EDUCAÇÃO DO RN
15. FOMENTO, INCENTIVO LOCAL PARA MENBROS DOS POVOS TRADICIONAIS INGRESSAREM NAS IES USANDO MEIOS E CANAIS COMPETENTES ASSIM RENOVANDO E CONSTRUINDO O IDEAL  DOS SEGMENTOS ETNICOS NOS IES ENTRE OUTROS,
16 SEMPRE QUE SOMOS CHAMADOS REALIZANDO PALESTAS E RODAS DE CONVERSA SOBRE COTAS E RECORTES ETNICOS RACIAIS EXEMPLO PARTICIPAÇÃO NA CIENTEC NACIONAL ACONTECEU NA UFRN COM A RODA DE CONVERSA DIALOGOS E DESAFIOS DA LEI 10.639/03 BEM COMO O PROJETO JÁ FALEI 10.639 VEZES QUE RACISMO, INTOLERANCIA E PRECONCEITO SÃO CRIMES PARCERIA, REDE MANDACARU BRASIL, SESAP/RN HEPAIDS, A COR DA CULTURA/CANAL FUTURA/FUNDAÇÃO ROBERTO MARINHO;

17 A NOSSA MAIOR VITORIA CRIAÇÃO DO FORUM REGIONAL LITORANEO NORTE NO MUNICÍPIO DE MAXARANGUAPE

Fatos e episódios da trajetória da população negra - brasileira e internacional - podem ser conferidos, mês a mês, aqui...


Fatos e episódios da trajetória da população negra - brasileira e internacional - podem ser conferidos, mês a mês, aqui.


http://www.seppir.gov.br/destaques/datas-da-historia-e-cultura-afro-brasileira-e-africana-2011



Datas da História e Cultura Afro-Brasileira e Africana

Fatos e episódios da trajetória da população negra - brasileira e internacional - podem ser conferidos, mês a mês, aqui.
Datas da História e Cultura Afro-Brasileira e Africana
Clique no mês em que deseja conhecer as datas históricas.






quarta-feira, 23 de abril de 2014

12 dicas de literatura afro-brasileira e africana Conheça mais sobre essa cultura tão presente no nosso imaginário

Literaturas que valorizam a diversidade étnica e cultural afro-brasileira e africana são uma ótima alternativa para abordar os conteúdos exigidos pela lei 10.639, que obriga o ensino da "História e Cultura afro-brasileira e africana" nas escolas de Ensino Fundamental e Médio das redes pública e privada de todo Brasil. Veja 12 dicas de livros recomendados para pais, filhos e professores sobre o tema. Confira também o índice de autores negros do Literafro, portal de estudos de literatura afro-brasileira da Universidade Federal de Minas Gerais.
Para ler, clique nos itens abaixo:
1. Menina Bonita do Laço de Fita - Ana Maria Machado

A autora coloca em cena, através da história de um coelho branco que se apaixona por uma menina negra, alguns assuntos muito debatidos nos dias de hoje, como a auto-estima das crianças negras e a igualdade racial.
2. Luana, A Menina Que Viu O Brasil Neném - Oswaldo Faustino, Arthur Garcia e Aroldo Macedo

O livro conta a história de Luana, uma menina de 8 anos que adora lutar capoeira, e a historia do descobrimento do Brasil. Ao lado de seu berimbau mágico, ela leva o leitor a outras épocas e lugares e mostra o quão rica é a cultura brasileira, além da importância das diferentes etnias existentes por aqui.
3. O Menino Marrom - Ziraldo

O Menino Marrom conta a historia da amizade entre dois meninos, um negro e um branco. Através da convivência aventureira dessas crianças ao longo de suas vidas, o autor pontua as diferenças humanas, realçando os preconceitos em alguns momentos.
4. Lendas da África - Júlio Emílio Brás

O livro mostra fábulas tipicamente africanas para leitores de todo mundo. Nas histórias, o autor mostra um pouco do folclore africano, além de passar valores do "tempo em que os animais ainda falavam" para as crianças.
5. Terra Sonâmbula - Mia Couto

Primeiro livro do autor africano, Terra Sonâmbula foi considerado um dos doze melhores romances do continente no século 20. Numa estória emocionante sobre o encontro de um menino sem memória e um velhinho meio perdido pelo mundo, Mia Couto mistura símbolos tradicionais da cultura e da história moçambicana.
6. Meu avô um escriba - Oscar Guelli

A história se passa na África, mais precisamente no Egito. O pequeno Tatu é neto de um escriba. A convivência com o avô permitirá ao menino aprender cálculos, a ter contato com tradições mais antigas de seu país e a se preparar para também ser um escriba um dia.
7. O Cabelo de Lelê - Valéria Belém

Lelê é uma linda menininha negra, que não gosta do seu cabelo cheio de cachinhos. Um dia, através de um fantástico livro, começa a entender melhor a origem de seu cabelo e, assim, passa a valorizar o seu tipo de beleza.
8. A varanda Do Frangipani - Mia Couto

O romance policial moçambicano é marcado por palavras criadas pelo próprio autor, nascido no país onde se passa a trama. A história conta sobre o violento colonialismo em Moçambique e a superação do país a partir dessa cicatriz histórica.
9. Bia na África - Ricardo Dregher

O livro é parte da coleção "Viagens de Bia". Nessa estória, Bia viaja por diferentes países da África, como Egito, Quênia e Angola. Na aventura, a garotinha conhece, entre outras curiosidades, a história do povo árabe e dos nossos antepassados negros, que vieram como escravos da África para o Brasil há muitos anos.
10. Avódezanove e o segredo do soviético - Ondjaki

Em Luanda, capital da Angola, África, as obras de um mausoléu realizadas por soldados soviéticos ameaçam desalojar morados da PraiaDoBispo, bairro da região. As crianças do bairro percebem as mudanças com olhares desconfiados. Talvez elas sejam as primeiras a perceber que a presença dos soldados soviéticos significa mais do que uma simples reforma espacial.
11. Tudo Bem Ser Diferente - Todd Parr

A obra ensina as crianças a cultivar a paz e os bons sentimentos. O autor lida com as diferenças entre as pessoas de uma maneira divertida e simples, abordando assuntos que deixam os adultos sem resposta, como adoção, separação de pais, deficiências físicas e preconceitos raciais.
12. Diversidade - Tatiana Belinky

O livro mostra, através de versos, porque é importante sermos todos diferentes. A autora fala que não basta reconhecer que as pessoas não são iguais, é preciso saber respeitar as diferenças.




Literatura Afro-brasileira – um conceito em construção, processo e devir. Além de segmento ou linhagem, é componente de amplo encadeamento discursivo. Ao mesmo tempo dentro e fora da Literatura Brasileira. Constitui-se a partir de textos que apresentam temas, autores, linguagens mas, sobretudo, um ponto de vista culturalmente identificado à afrodescendência, como fim e começo. Sua presença implica re-direcionamentos recepcionais e suplementos de sentido à história literária canônica.
literafro – Portal da Literatura Afro-brasileira. Objetivo: divulgar e estimular a pesquisa e a reflexão a respeito da produção literária dos brasileiros afrodescendentes. Lugar rizomático, elo e ponto de encontro. Mas, também, ambiente lacunar, feito de presenças e ausências, que adquire sentido pelo que apresenta e pelo que ainda está por vir e apresentar. Espaço em construção, aberto sempre a visitas e intervenções.

http://www.letras.ufmg.br/literafro/

RADIO MANDACARU BRASIL RESISTENCIA NORDESTINA