CONTRIBUA COM NOSSAS AÇÕES... ENTIDADE PARCEIRA REDE MANDACARU BRASIL

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

domingo, 25 de outubro de 2015

Povos e Comunidades Tradicionais



Povos e Comunidades Tradicionais

O Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) preside desde 2007 a Comissão Nacional de Desenvolvimento Sustentável das Comunidades Tradicionais (CNPCT), criada por meio do Decreto de 27 de dezembro de 2004 e reformulada pelo Decreto de 13 de julho de 2006. Fruto dos trabalhos da CNPCT, foi instituída, por meio do Decreto 6.040 de 7 de fevereiro de 2017, a Política Nacional de Desenvolvimento Sustentável dos Povos e Comunidades Tradicionais (PNPCT). A PNPCT foi criada em um contexto de busca de reconhecimento e preservação de outras formas de organização social por parte do Estado. 

De acordo com essa Política, Povos e Comunidades Tradicionais (PCTs) são definidos como: “grupos culturalmente diferenciados e que se reconhecem como tais, que possuem formas próprias de organização social, que ocupam e usam territórios e recursos naturais como condição para sua reprodução cultural, social, religiosa, ancestral e econômica, utilizando conhecimentos, inovações e práticas gerados e transmitidos pela tradição”.

Entre os PCTs do Brasil, estão os povos indígenas, os quilombolas, as comunidades tradicionais de matriz africana ou de terreiro, os extrativistas, os ribeirinhos, os caboclos, os pescadores artesanais, os pomeranos, entre outros.

Em relação a esses povos, o MDS apoia projetos específicos para a estruturação da produção familiar e comercialização, que auxiliam as famílias a produzirem alimentos de qualidade, com regularidade e em quantidade suficiente para seu autoconsumo e geração de excedentes. Esses projetos são realizados em parceria com outros órgãos que atuam junto aos PCTs, como a FUNAI (Fundação Nacional do Índio), o MMA (Ministério do Meio Ambiente) e o MDA (Ministério do Desenvolvimento Agrário), SEPPIR (Secretaria de Políticas Públicas de Promoção da Igualdade Racial), entre outros.

Nesse sentido, o MDS busca ampliar o acesso desses povos a ações como Acesso à Água, Programa de Aquisição de Alimentos da Agricultura Familiar (PAA) e Programa de Fomento às Atividades Produtivas Rurais. 

Além disso, em 2012, foi instituído, no âmbito do MDS, o Comitê Técnico (CT10) [1], da Câmara Interministerial de Segurança Alimentar e Nutricional (CAISAN), intitulado Comitê Técnico de Povos e Comunidades Tradicionais (CTPCT), com o objetivo de apoiar e garantir ações voltadas para PCT, em consonância com o Decreto nº 6.040/2007 (PNPCT). 

O sertão Vivo e a água que faz a vida brotar (Inglês)

sábado, 24 de outubro de 2015

IFESP RN DE PORTAS ABERTAS AO RECORTE ÉTNICO RACIAL NO RN ---PROFESSORA/DIRETORA/REITORA DO KENEDY RN MARLENE RIBEIRO... RECEBE EM AUDIENCIA FÓRUM PERMANENTE DE EDUCAÇÃO E DIVERSIDADE ÉTNICO RACIAL MEC/SECADI RN, COMISSÃO DE POVOS DE TERREIROS E REDE MANDACARU BRASIL EM PAUTA.... CONTAMOS COM A PRESENÇA DA YALORIXA MARIA DE XOROQUE, REITORA, OMO ORIXA FERNANDES JOSE OLUFÃ, PROF TERESA PESQ. JUREMEIRA E MATRIZ AFRICANA, PROF E JUREMEIRO ROMULO ANGÉLICO TRONCO DE JUREMA E O JUREMEIRO E EUCADOR POPULAR CARLOS... ENTRE AS PAUTAS ESTA REORGANIZAÇÃO DO NEABI E RETORNO DO KENEDY AO FÓRUM P. ERER NO RN, E AÇÕES E PARCERIAS COMO POVOS ÉTNICOS E TRADICIONAIS COM ESTA INSTITUIÇÃO IINSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR KENEDY - SECRETARIA DE EDUCAÇÃO DO ESTADO DO RN...


IFESP RN DE PORTAS ABERTAS AO RECORTE ÉTNICO RACIAL NO RN...






http://fpedern.blogspot.com.br/

IFESP RN DE PORTAS ABERTAS AO RECORTE ÉTNICO RACIAL NO RN ---PROFESSORA/DIRETORA/REITORA  DO KENEDY RN MARLENE RIBEIRO... RECEBE EM AUDIENCIA  FÓRUM PERMANENTE DE EDUCAÇÃO E DIVERSIDADE ÉTNICO RACIAL MEC/SECADI RN, COMISSÃO DE POVOS DE TERREIROS E REDE MANDACARU BRASIL EM PAUTA.... CONTAMOS COM A PRESENÇA DA YALORIXA MARIA DE XOROQUE, REITORA, OMO ORIXA FERNANDES JOSE OLUFÃ, PROF TERESA PESQ. JUREMEIRA E MATRIZ AFRICANA, PROF  E  JUREMEIRO ROMULO ANGÉLICO TRONCO DE JUREMA  E O JUREMEIRO E EUCADOR POPULAR  CARLOS... ENTRE AS PAUTAS ESTA REORGANIZAÇÃO DO NEABI E RETORNO DO KENEDY AO FÓRUM P. ERER  NO RN,  E AÇÕES E PARCERIAS COMO POVOS ÉTNICOS E TRADICIONAIS COM ESTA INSTITUIÇÃO IINSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR KENEDY  - SECRETARIA DE EDUCAÇÃO DO ESTADO DO RN...



http://fpedern.blogspot.com.br/

























http://fpedern.blogspot.com.br/



IFESP RN DE PORTAS ABERTAS AO RECORTE ÉTNICO RACIAL NO RN ---PROFESSORA/DIRETORA/REITORA  DO KENEDY RN MARLENE RIBEIRO... RECEBE EM AUDIENCIA  FÓRUM PERMANENTE DE EDUCAÇÃO E DIVERSIDADE ÉTNICO RACIAL MEC/SECADI RN, COMISSÃO DE POVOS DE TERREIROS E REDE MANDACARU BRASIL EM PAUTA.... CONTAMOS COM A PRESENÇA DA YALORIXA MARIA DE XOROQUE, REITORA, OMO ORIXA FERNANDES JOSE OLUFÃ, PROF TERESA PESQ. JUREMEIRA E MATRIZ AFRICANA, PROF  E  JUREMEIRO ROMULO ANGÉLICO TRONCO DE JUREMA  E O JUREMEIRO E EUCADOR POPULAR  CARLOS... ENTRE AS PAUTAS ESTA REORGANIZAÇÃO DO NEABI E RETORNO DO KENEDY AO FÓRUM P. ERER  NO RN,  E AÇÕES E PARCERIAS COMO POVOS ÉTNICOS E TRADICIONAIS COM ESTA INSTITUIÇÃO IINSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR KENEDY  - SECRETARIA DE EDUCAÇÃO DO ESTADO DO RN...


http://fpedern.blogspot.com.br/

Instituto de formação de professores do estado do RN...promove dialogo intolerância religiosas marcamos a nossa presença desafiando as e os educadores a fomentar efetivar e garantir ...as leis 10639/03 e 11645/08 Fórum Permanente de educação e diversidade Étnico Racial MEC/SECADI...e NEABI NO ‪#‎IFESP‬ RN KENEDY....





Instituto de formação de professores do estado do RN...promove dialogo intolerância religiosas marcamos a nossa presença desafiando as e os educadores a fomentar efetivar e garantir ...as leis 10639/03 e 11645/08 Fórum Permanente de educação e diversidade Étnico Racial MEC/SECADI...e NEABI NO ‪#‎IFESP‬ RN KENEDY....

www.mandacarurn.blogspot.com








segunda-feira, 19 de outubro de 2015

ESTAMOS NA CIENTEC/UFRN 2015 DE NOVO ...POVO 10.639/03 E 11.645/08 UM DESAFIO ÉTNICO RACIAL REAFIRMANDO O COMPROMISSO COM A FORMAÇÃO NA EDUCAÇÃO. E NEABIS REAFIRMANDO O COMPROMISSO COM EDUCAÇÃO ETNICO RACIAL NO BRASIL

10.639/03 E 11.645/08 UM DESAFIO ÉTNICO RACIAL REAFIRMANDO O COMPROMISSO COM A FORMAÇÃO NA EDUCAÇÃO. E NEABIS REAFIRMANDO O COMPROMISSO COM EDUCAÇÃO ETNICO RACIAL NO BRASIL


Ministrantes:  PROF JOSIMAR DA ROCHA FERNANDES

REVALIDANDO MESTRADO E DOUTORADO NO BRASIL

Data: 22/10/15

Local: Mini Auditório de Contabilidade / CCSA

Horário: 09H

Resumo: Elencando o processo formativo por meio da formação Educação, Relações étnicos Raciais e Direitos Humanos a promoção de uma roda de conversa aberta e pública sobre os 10 anos da lei 10.639 de 2003 e 11.645/08, que instituiu a obrigatoriedade do ensino de História da África e dos/as africanos/as bem como da História e saberes e valores dos povos indígenas no currículo escolar do ensino fundamental e médio e como não nas IES (instituições de ensino superior), públicas e privadas de todo o Brasil. Reconhecendo as leis como grandes avanços para o processo de democratização do ensino, evidenciando assim a sua força simbólica para organizações que lutam pela valorização e respeito às pessoas negras, indígenas e populações étnicas e toda a sua história. Nós do movimento negro, povos Tradicionais de Matriz Africana e das diversas frentes de luta reafirmando o compromisso e reparação necessária que a de se construir ainda, vamos repetir por muito tempo: a lei 10.639/03 e 11.645/08 são símbolos dos vários resultados e lutas e reafirmações politicas necessárias de uma luta, ainda parcial, mas de uma luta de muitas gerações que passaram um século insistindo que os brasileiros conheçam a cultura os saberes e fazeres dos africanos e afro-brasileiros e indígenas e de todas as etnias e povos tradicionais no Brasil. Não podemos nos esquecer, uma forma de desvalorizar é desconhecer.


Cientec - Semana de Ciência, Tecnologia e Cultura
cientec.ufrn.br|Por Andressa Kroeff Pires - SINFO

Campus Canguaretama realiza aula inaugural da Especialização em EJA no Contexto da Diversidade ESPECIALIZAÇÃO


Campus Canguaretama realiza aula inaugural da Especialização em EJA no Contexto da Diversidade
ESPECIALIZAÇÃO

Campus Canguaretama realiza aula inaugural da Especialização em EJA no Contexto da Diversidade

19/10/2015 - Momento ocorrerá dentro da programação da EXPOTEC 2015
Campus Canguaretama realiza aula inaugural da Especialização em EJA no Contexto da Diversidade
No próximo dia 29 de outubro, às 19h, será realizada a aula que dá início aos trabalhos do curso de Especialização em Educação de Jovens e Adultos (EJA) no Contexto da Diversidade. O momento acontecerá no Campus Canguaretama, durante a programação da EXPOTEC, e contará com a presença da Dra. Jane Paiva, professora do Programa de Pós-Graduação em Educação (ProPed) e da Faculdade de Educação da Universidade Estadual do Rio de Janeiro.

http://portal.ifrn.edu.br/campus/canguaretama/noticias/campus-canguaretama-realiza-aula-inaugural-da-especializacao-em-eja-no-contexto-da-diversidade

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

Dia Mundial da Alimentação 16 de Outubro

Dia Mundial da Alimentação

16 de Outubro


Alimentação Adequada e Saudável Avanços e Desafios na Garantia de um Direito Humano Fundamental

Local: Auditório da EMATER (Centro Administrativo do Estado)
Data: 16/10/2015 (Sexta-feira)
Participantes: Estudantes e profissionais de Nutrição
Carga Horária: 4 horas (13h00minh – 17h00minh)
Inscrições: Realizadas no dia do Evento
Emissão de Certificados: Via SIGAA

Programação
13h – 13h30min -Acolhimento
13h30min – 14h - O direito Humano à Alimentação na Formação do Nutricionista: entre a Teoria e a Prática - Sônia Soares (Profª/UFRN)
14h – 14h30min – A Importância da Extensão Rural para a Garantia da Soberania Alimentar José Alves Neto (Extensionista/EMATER)
14h30min – 15h– Novidades do Guia Alimentar para População Brasileira -  Célia Márcia Medeiros de Morais (Profª/UFRN)
15h – 15h30min -  Apresentação do Aplicativo sobre RotulagemDrtª Sônia Fernandes
15h30min – 16h –Apresentação do Trabalho Ganhador do Prêmio Emilia Aureliano 2015Programa Alimente-se Bem: Educação Alimentar e Nutricional nas Ondas do Rádio” - Thayse Hanne ((Profª/FACISA)
16h – 16h50min – Debate
17h- Encerramento


Realização:


Como usar o instinto humano na manipulação de massas: A Experiência Milgram

Preta-Rara - "Audácia" (Álbum Completo)

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Artrite Reumatóide - O Fado de Muitas Portuguesas

Exú sempre foi o mais alegre e comunicativo de todos os orixás...

Exú sempre foi o mais alegre e comunicativo de todos os orixás. Olorun, quando o criou, deu-lhe, entre outras funções, a de comunicador e elemento de ligação entre tudo o que existe. Por isso, nas festas que se realizavam no orun (céu), ele tocava tambores e cantava, para trazer alegria e animação a todos.
Sempre foi assim, até que um dia os orixás acharam que o som dos tambores e dos cânticos estavam muito altos, e que não ficava bem tanta agitação.
Então, eles pediram a Exú, que parasse com aquela atividade barulhenta, para que a paz voltasse a reinar.
Assim foi feito, e Exú nunca mais tocou seus tambores, respeitando a vontade de todos.
Um belo dia, numa dessas festas, os orixás começaram a sentir falta da alegria que a música trazia. As cerimônias ficavam muito mais bonitas ao som dos tambores.
Novamente, eles se reuniram e resolveram pedir a Exú que voltasse a animar as festas, pois elas estavam muito sem vida.
Exú negou-se a fazê-lo, pois havia ficado muito ofendido quando sua animação fora censurada, mas prometeu que daria essa função para a primeira pessoa que encontrasse.
Logo apareceu um homem, de nome Ogan. Exú confiou-lhe a missão de tocar tambores e entoar cânticos para animar todas as festividades dos orixás. E, daquele dia em diante, os homens que exercessem esse cargo seriam respeitados como verdadeiros pais e denominados Ogans..
cordialmente o axe de pai Ogam roberto rodrigues....

Fórum das Licenciaturas discute proposta do MEC sobre Base Curricular

Fórum das Licenciaturas discute proposta do MEC sobre Base Curricular



Fórum das Licenciaturas discute proposta do MEC sobre Base Curricular
O Centro de Educação (CE) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) realiza, na próxima terça-feira, dia 20, o Fórum das Licenciaturas da UFRN em sessão extraordinária sobre a Base Nacional Comum Curricular (BNC).

A iniciativa parte da Coordenação das Disciplinas Pedagógicas das Licenciaturas (COORDLICE) e pretende discutir sobre o encaminhamento de políticas de formação docente, tendo como referência os cursos de licenciatura da Instituição.

O evento conta com a presença dos professores André Ferrer e Denise Maria de Carvalho Lopes, membros da Comissão de Especialistas do Ministério da Educação (MEC) responsável pela elaboração do documento preliminar relativo à Base Nacional Comum.

Estarão presentes também os coordenadores e vice-coordenadores dos cursos de licenciatura da UFRN, representantes da Pró-Reitoria de Graduação (PROGRAD), do  Núcleo de Educação da Infância (NEI), da Escola Agrícola de Jundiaí (EAJ),  do Diretório Central dos Estudantes (DCE), da Secretaria Estadual de Educação e da União de Dirigentes Municipais da Educação (UNDIME) escolhidos entre as Secretarias Municipais de Educação conveniadas à UFRN.

O fórum acontece das 9h às 12h no auditório do Centro de Educação.

Base Nacional Comum Curricular

A BNC é o documento que detalha o que precisa ser ensinado em Matemática, Linguagens e Ciências da Natureza e Humanas nas escolas do país. A Proposta é fazer que o novo currículo dialogue com o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), buscando uma abordagem mais interdisciplinar da compreensão dos conteúdos.

O Ministério da Educação (MEC) apresentou, no dia 16 de setembro, a proposta preliminar do currículo. O texto foi elaborado por 116 especialistas de 35 universidades do Brasil. A meta do Plano Nacional da Educação (PNE) é concluir todo o processo em junho de 2016.

A BNC está em fase de consulta pública. O texto preliminar da base curricular pode ser acessado em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/documento/BNCC-APRESENTACAO.pdf.



MEC inicia Base Nacional (Curricular) da Formação



O Ministério da Educação deu início ao processo de reforma curricular dos cursos de formação de professores, com vistas a adequá-los à BNCC – base nacional comum curricular da educação básica, ainda em consulta pública. Tomamos conhecimento de que convites a docentes do ensino superior estão em curso, com o objetivo de compor a comissão nacional que elaborará, certamente, a base nacional curricular de/para todas as licenciaturas, recuperando a proposta de currículo mínimo, ultrapassada na década de 90.
Em agosto deste ano, dois meses após a aprovação das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação Inicial e Continuada de Professores pelo CNE , o MEC finalizou o processo de consulta pública sobre a política nacional de formação de profissionais da educação básica, cujo objetivo primordial era o de construir um novo decreto em substituição ao Decreto 6.755 de 2009.  que instituiu a Politica Nacional de Formação dos Profissionais do Magistério da Educação Básica.
As entidades da área – ANFOPE, ANPAE, ANPED, CEDES e FORUMDIR – se posicionaram de forma coletiva frente as proposições da minuta de decreto sob consulta pública, sugerindo alterações e propondo mecanismos abertos e transparentes para a sistematização e socialização das contribuições recebidas.
Nesse documento, que pode ser acessado aqui, as entidades reafirmaram o compromisso com os princípios e objetivos do Decreto 6.755 de 2009, indicando a necessidade de que sejam mantidos particularmente no que tange ao fomento, financiamento e apoio às Instituições de Ensino Superior públicas.
É portanto com estranheza e preocupação que recebemos a informação de que o MEC deflagra um processo fechado, à semelhança daquele instituído para elaborar a BNCC da Educação Básica, contrariando os principais postulados da política nacional de formação dos profissionais da educação básica e se colocando na contramão do estabelecido tanto pelas CONAEs 2010 e 2014, quanto pelo Conselho Nacional de Educação, nas Diretrizes Nacionais para a Formação Inicial e Continuada de Professores da Educação Básica no que tange a gestão coletiva e democrática da politica educativa e dos processos formativos dos profissionais da educação.
Já nos confrontamos em outros momentos históricos com a tentativa de imposição de reformas no âmbito da educação superior bem como reformas curriculares para as licenciaturas. Não foi sem muita luta que fomos vitoriosos ao barrarmos proposições do MEC e do CNE que pretendiam alterar o lócus da formação – regulamentando a criação dos Institutos Superiores de Educação em substituição e oposição ao fortalecimento das Faculdades e Centros de Educação no interior das Universidades. A criação dos Cursos Normais Superiores em substituição aos cursos de pedagogia para a formação dos professores da educação infantil e séries iniciais em nível pós-médio/superior mereceu rechaço nacional, especialmente com a promulgação do famigerado Decreto 3.276 de 6 de dezembro de 99, assinado no contexto do amplo e polêmico debate sobre a politica de formação, que estabeleceu exclusividade/preferência aos cursos normais superiores na formação de professores para educação infantil e séries iniciais.
No quadro atual, em que os debates sobre a Base Nacional Comum Curricular para a educação básica ganham prioridade nas ações do MEC, é importante que os educadores reafirmem suas posições em defesa da Universidade como lócus de formação dos profissionais da educação, da base comum nacional para todos os cursos de formação de professores, a defesa do curso de pedagogia como o espaço institucional de formação dos professores da educação infantil e dos anos iniciais do ensino fundamental, entre outras posições históricas do movimento dos educadores materializados nos Documentos Finais de todas as CBEs, CONEDs, CONEB, CONAEs 2010 e 2014.
A concepção sócio histórica de educador – em oposição a formação de caráter técnico instrumental com ênfase no ensino dos conteúdos da BNCC da Educação Básica – , encontra-se consolidada na concepção de base comum nacional em permanente atualização pela ANFOPE desde a década de 90. Ao reafirmá-la, sinalizamos nossa posição contrária a qualquer forma de reducionismo dos percursos formativos propostos pelos currículos escolares – tanto de estreitamento curricular na educação básica quanto de rebaixamento da formação superior nas licenciaturas -, com matrizes formativas que tenderão a focalizar exclusivamente a formação geral, formação na área do saber e didática específica, articulada à BNCC, tal como expressa a Estratégia 15.6 do PNE.
Neste momento em que o conjunto dos profissionais e trabalhadores da educação, pautam as principais reivindicações que movimentarão os educadores  nas manifestações no Dia do Professor, conclamamos os educadores, docentes universitários, estudantes de licenciaturas e pedagogia e professores e profissionais da educação básica, a se inserirem na luta por uma política nacional de formação e valorização profissional construída de forma ampla, democrática e plural, com a participação ativa dos Fóruns Estaduais Permanentes de Apoio à Formação Docente, que vêm sendo desmobilizados pelo MEC.
E, em seu conteúdo, que esteja comprometida com a transformação radical das atuais condições  perversas que marcam o trabalho docente na educação básica, incompatíveis com os esforços que fazemos para tornar as licenciaturas  cursos de graduação plena de formação de professores, à luz da pedagogia e das ciências da educação e sintonizadas com os anseios e necessidades de todos os sujeitos que fazem da escola pública de educação básica o lugar da educação integral e emancipadora.
No próximo post abordaremos as principais questões envolvidas no processo de adequar os currículos das licenciaturas à BNCC da Educação Básica.

http://formacaoprofessor.com/2015/10/12/mec-inicia-base-nacional-curricular-da-formacao/

Meu primeiro Romance. Desafio você a ler as primeiras folhas e não querer ler o restante... Disponível nas livrarias Cultura, Chiado Editora e Galileu.



John Carth MIITANTE E EDUCADOR LANÇA LIVRO ....

Meu primeiro Romance. Desafio você a ler as primeiras folhas e não querer ler o restante... Disponível nas livrarias Cultura, Chiado Editora e Galileu




Na fazenda canavieira Palma dos Morros, em Pernambuco-Brasil, no ano de 1823 tem início um romance ardente e impossível. A jovem esposa do Coronel se apaixona pelo escravo mais caro da fazenda, o reprodutor Joaquim Francisco, o Zebu. Era o Brasil de Dom Pedro I com revoltas em todos os lugares, onde…
livrariacultura.com.br

luta-fela-efetividade-artigo-26-ldben 10.639/03 E 11645/08...


http://mandacarurn.blogspot.com.br/2015/10/luta-fela-efetividade-artigo-26-ldben.html


domingo, 11 de outubro de 2015

Reitor-diretor do IFRN CIDADE ALTA NOS RECEBE ASSUNTO NEABI IFRN E PAUTA 10.639/03 E 11.645/08 E ENC NEABIS DO RN...

Reitor-diretor do IFRN CIDADE ALTA NOS RECEBE ASSUNTO NEABI IFRN E PAUTA 10.639/03 E 11.645/08 E ENC NEABIS DO RN...
·
Reitor-diretor do IFRN CIDADE ALTA NOS RECEBE ASSUNTO NEABI IFRN E PAUTA 10.639/03 E 11.645/08 E ENC NEABIS DO RN...
www.mandacarurn.blogspot.com

CIENTEC 2015 UFRN - 10.639/03 E 11.645/08 UM DESAFIO ÉTNICO RACIAL REAFIRMANDO O COMPROMISSO COM A FORMAÇÃO NA EDUCAÇÃO. NEABIS FORTALECENDO A POLÍTICA AFIRMATIVA ÉTNICO RACIAL NA EDUCAÇÃO


Convite a todas e todos...

*PROGRAMAÇÃO REUNIÕES ACADÊMICO-CIENTÍFICAS – CIENTEC 2015 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RN...

10.639/03 E 11.645/08 UM DESAFIO ÉTNICO RACIAL REAFIRMANDO O COMPROMISSO COM A FORMAÇÃO NA EDUCAÇÃO. NEABIS FORTALECENDO A POLÍTICA AFIRMATIVA ÉTNICO RACIAL NA EDUCAÇÃO




Ministrantes: JOSIMAR DA ROCHA FERNANDES (Omo Orixa Fernndes José Olufã).

Data: 22/10/15

Local: Mini Auditório de Contabilidade / CCSA

Horário: 09H AS 17H

Resumo: Elencando o processo formativo por meio da formação Educação, Relações étnicos Raciais e Direitos Humanos a promoção de uma roda de conversa aberta e pública sobre os 10 anos da lei 10.639 de 2003 e 11.645/08, que instituiu a obrigatoriedade do ensino de História da África e dos/as africanos/as bem como da História e saberes e valores dos povos indígenas no currículo escolar do ensino fundamental e médio e como não nas IES (instituições de ensino superior), públicas e privadas de todo o Brasil. Reconhecendo as leis como grandes avanços para o processo de democratização do ensino, evidenciando assim a sua força simbólica para organizações que lutam pela valorização e respeito às pessoas negras, indígenas e populações étnicas e toda a sua história. Nós do movimento negro, povos Tradicionais de Matriz Africana e das diversas frentes de luta reafirmando o compromisso e reparação necessária que a de se construir ainda, vamos repetir por muito tempo: a lei 10.639/03 e 11.645/08 são símbolos dos vários resultados e lutas e reafirmações politicas necessárias de uma luta, ainda parcial, mas de uma luta de muitas gerações que passaram um século insistindo que os brasileiros conheçam a cultura os saberes e fazeres dos africanos e afro-brasileiros e indígenas e de todas as etnias e povos tradicionais no Brasil. Não podemos nos esquecer, uma forma de desvalorizar é desconhecer.

CIENTEC 2015 UFRN -  10.639/03 E 11.645/08 UM DESAFIO ÉTNICO RACIAL REAFIRMANDO O COMPROMISSO COM A FORMAÇÃO NA EDUCAÇÃO. NEABIS FORTALECENDO A POLÍTICA AFIRMATIVA ÉTNICO RACIAL NA EDUCAÇÃO  

RN TEM Resultado preliminar das etapas estaduais/primeira fase das eleições do novo Conselho Nacional de Política Cultural...ministerio da cultura...





























 RN TEM Resultado preliminar das etapas estaduais/primeira fase das eleições do novo Conselho Nacional de Política Cultural...ministério da cultura...




O Ministério da Cultura, cumprindo o disposto no Edital CNPC 01/2015, divulga o resultado da primeira fase das eleições do novo Conselho Nacional de Política Cultural. As etapas estaduais mobilizaram mais de 70 mil artistas, produtores, gestores, fazedores de cultura e cidadãos interessados em debater o futuro da gestão cultural em todas as regiões do país.

O novo CNPC está nascendo, portanto, de um amplo debate que será aprofundado nos Fóruns Nacionais, que ocorrem no mês de Novembro. Os eleitos, em cada estado e em cada colegiado setorial, estarão reunidos em três fóruns nacionais para construir a agenda do próximo biênio e proceder a eleição dos representantes, titulares e suplentes, de cada um dos colegiados, além do pleno do CNPC. O resultado apresentado aqui refere-se à eleição dos representantes dos estados para os Fóruns Nacionais.


O que é Conselho Nacional de Política Cultural?
O CNPC é um órgão colegiado integrante da estrutura do Ministério da Cultura. Esse órgão tem como finalidade propor a formulação de políticas públicas, promovendo a articulação e o debate dos diferentes níveis d governo e sociedade civil organizada, para o desenvolvimento e fomento das atividades culturais no território nacional.
O que são os Colegiados Setoriais?
Os Colegiados Setoriais são instancias integrantes do CNPC compostas por 15 membros da Sociedade Civil e 5 membros do Poder Público com seus respectivos suplente. Atualmente, o CNPC possui 17 Colegiados Setoriais instalados nas seguintes áreas: Arquitetura e Urbanismo; Arquivos; Arte Digital; Artes Visuais; Artesanato; Circo; Culturas Afro-Brasileiras; Culturas dos Povos Indígenas; Culturas populares; Dança; Design; Literatura; Livro e Leitura; Moda; Música; Patrimônio Imaterial; Patrimonio Material; e teatro. Essas instâncias têm por atribuição debater, analisar, acompanhar, solicitar informações e fornecer subsídios ao CNPC para a definição de políticas, diretrizes e estratégias dos respectivos setores culturais.







ARLINDO BEZERRA DA SILVA JUNIOR (Arlindo Bezerra da Silva Junior ) Teatro RN Habilitado

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx               Patrimônio Material

DANIELLE CRISTINA VASCONCELOS DE BRITO (Danielle Cristina Vasconcelos de Brito) Patrimônio Imaterial RN Habilitado

JOSELITO CORINGA BEZERRA (Zelito Coringa) Música RN Habilitado


RAFAELA FELIPE FAGUNDES DA SILVA (Rafaela fagundes) Moda RN Habilitado

MARIA CARMEM SILVA BATISTA (Maria Carmem Silva Batista) Literatura, Livro e Leitura RN Habilitado

CRISTIANO JOSE DE OLIVEIRA PAES DA CUNHA (Cristiano Oliveira Cunha) Design RN Habilitado

EDEILSON MATIAS DA SILVA (Edeilson Matias da Silva) Dança RN Habilitado

GLAUCIO TEIXEIRA DA CAMARA (Gláucio Teixeira da Câmara) Culturas Populares RN Habilitado

JOSIMAR DA ROCHA FERNANDES (josimar rocha FERNANDES) Culturas Afro-Brasileiras RN Habilitado

RENATA MARQUES PEREIRA (Renata Marques Pereira Ruiz) Circo RN Habilitado






SILVANA PACHECO NUNES (silvana pacheco nunes) Artesanato RN Habilitado

ALEXANDRE FERREIRA DOS SANTOS (Alexandre Santos) Artes Visuais RN Habilitado

PHILIPE MICHEL SILVA SOARES (Philipe Michel Silva Soares) Arte Digital RN Habilitado

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX              Arquivos

FLAVIA COSTA DE ASSIS (FLÁVIA COSTA DE ASSIS)                                                   
                         Arquitetura e Urbanismo  http://www.cultura.gov.br/cnpc  
               






RN Habilitado  













RADIO MANDACARU BRASIL RESISTENCIA NORDESTINA